6 dicas para uma pilotagem segura

O trânsito está cada dia mais complicado e frenético. Toda atenção ainda é pouco para o vai e vem das grandes cidades.

Pensando nisso, elaborei 6 dicas bacanas para uma pilotagem mais segura e tranquila.

1 – Capacete

Sem dúvida, o item mais importante para nossa segurança. Como diz o ditado: na moto o para-choques é nossa cabeça; então, se houver uma condição financeira que possibilite, invista uma grana nesse item, não precisa andar com capacete de R$1.000,00 (mil reais), mas entre R$250,00 (duzentos e cinquenta reais) e R$400,00 (quatrocentos reais) se consegue um equipamento de excelente qualidade.

Um ponto importante, além da qualidade, é o tamanho do capacete, que não deve estar muito apertado, e menos ainda, solto na cabeça. As duas formas são prejudiciais, onde, em uma queda, o capacete poderá rachar, ou então, sair da cabeça.

Outro ponto é andar sempre com o capacete afivelado no queixo. Lembrando também que o feixe não deve estar solto (largo/bambo), pois não terá efeito algum em caso de queda.

 

2 – Retrovisores

Um dos acessórios mais substituídos nas motos é o espelho retrovisor, mas, você experimenta antes de adquirir ou sai comprando o mais bonitinho?

Geralmente a rapaziada compra o espelho menorzinho e mais esportivo, porém, este item quando trocado deve ser experimentado, pois tem tamanho reduzido e a haste mais curta, e, dependendo da sua estatura, pode criar pontos cegos (abordado daqui a pouco) que aumenta significativamente a possibilidade de ocasionar acidentes graves, ou então, situações de fechadas, e lembre-se, você é o mais frágil no trânsito.

 

3 – Pneus

Eu não deveria nem me dar ao luxo de escrever sobre pneus, todos tem obrigação de saber o quanto é importante manter pneus em boas condições, principalmente nos dias chuvosos.

Pneus carecas, ressecados ou tortos comprometem infinitamente a pilotagem, ainda mais quando se exige um bom comportamento dos pneus, que se dá em situações de emergência, como uma frenagem mais forte ou em um deslocamento lateral mais brusco ou com a moto mais inclinada.

Então, fique sempre de olho na marcação de desgaste existente no pneu e substitua sempre que a marca ficar rente com a face de rodagem. Ah, lembre-se: pneus devem ser calibrados ao menos uma vez na semana.

 

4 – Uso correto do freio

Parece obvio, mas muita gente ainda não sabe a correta utilização desse item. Coloque em sua cabeça: o freio que para a moto é o freio dianteiro – é por esse motivo que as motos vem com freio a disco na dianteira – o freio traseiro serve apenas para estabilizar a moto e faze-la seguir em linha reta.

Existem vários macetes no uso do freio, mas abordaremos em outra publicação; Para esta vale a dica: utilize sempre os dois freios simultaneamente, e, com o uso você vai pegar a prática e começar a perceber o quanto é mais eficiente.

 

5 – Ponto Cego

Aqui são duas partes a serem abordadas: o ponto cego seu, e o ponto cego dos motoristas.

O seu ponto cego: fácil de resolver. Posicione os espelhos de forma que você veja apenas as pontas do seu ombro, o restante do espelho deve ser todo preenchido pela pista (rua, avenida), etc.

Se você trocou o espelho por um menor, posicione ele ainda mais “jogado para fora”, onde você praticamente não veja seu ombro, e, mesmo assim, quando for olhar, movimente a cabeça, certificando-se de que viu toda área atrás de você.

O ponto cego dos motoristas se dá devido a má regulagem feita nos espelhos dos veículos, então, você deve estar sempre muito atento ao andar atrás de um carro ou ao tentar uma ultrapassagem.

Olhe no espelho do carro à sua frente e certifique-se de que o motorista está te vendo. Mas como você vai saber se ele está te vendo, né? Fácil! Você literalmente vai ver o rosto do motorista através do espelho do carro dele. Uma vez que você fizer o motorista perceber sua presença, você conseguiu evitar 90% da possibilidade que tinha de levar uma fechada, assim, podendo efetuar sua ultrapassagem de forma mais segura, ou então, permanecer de forma mais tranquila atrás desse veículo.

 

6 – Estacionamento

Rapaziada, parece besteira, mas já vi cada cena na hora que a pessoa vai estacionar a moto! O pessoal para a moto no meio da rua e vem puxando de costas, carro buzinando, desviando, uma baderna só. Isso coloca em risco a sua integridade e pode causar um dano no bem alheio, então segue uma dica para evitar esse tipo de situação.

Se o local que pretende estacionar já está próximo de você e existe um fluxo de carro atrás, passe reto, nada de dar seta e entrar. O certo é você avistar o local de longe, vir sinalizando e freando aos poucos, assim que estiver perto da vaga, vá jogando a moto para o lado que pretende parar. Beirando o máximo o bordo da via ou do carro estacionado à frente da vaga, passe a distância de 1 (uma) moto da vaga, e só então, pare. Depois que a moto parou, olhe para trás, certifique-se de que não há ninguém encostado em você ou vindo em sua direção, e vá puxando a moto de costas, com os pés no chão, e manobrando-a para encaixar na vaga. Ok, pessoal?! Nada de parar no meio da rua e os outros que desviem, pois quem sairá prejudicado se algo der errado, é sempre o “cara da motoca”.

É isso aí, espero que tenham absorvido algo de positivo, e bom rolê a todos nós!

Deixe sua opinião