5 dicas para conservar sua moto

No geral, quem realmente gosta de sua moto, cuida dela, mas sempre alguns detalhes podem passar desapercebidos, e para que algo não danifique sua moto, resolvi criar este artigo!

1 – Nunca ignore o óleo

Acredito que esse seja o ponto mais crítico quando o assunto é manutenção preventiva, e também o mais esquecido. Tudo bem, você pode ser um cara regrado e fazer a troca do óleo a cada 1.000 Km (para os mais cuidadosos) ou 1.500 Km, mas você lembra de chegar o nível periodicamente?

O indicado é TODA vez que for sair com a moto, colocá-la no cavalete, em um lugar plano e verificar o nível! Complete o nível caso esteja a baixo do ideal. E calma! É normal o motor baixar até 20% da capacidade total de óleo.

Agora, cá entre nós… é um “pé no saco” ver o óleo todo dia, você suja a mão, etc. É aconselhável que essa verificação diária seja feita apenas se você possui um motor que foi preparado em um nível consideravelmente alto (pois há um consumo maior do óleo). Preparação mais leve e motores originais, verifique uma, ou duas vezes por semana que já está de bom tamanho!

Crie esse hábito e evitará muitas dores de cabeça!

 

2 – Pneus sempre cheios

Mais um item que você deve ficar atento. O pneu com calibragem abaixo do recomendado, além de furar com maior facilidade – em uma curva, por exemplo, o pneu pode “mastigar” a câmara se ela estiver murcha – seu pneu pode ainda sofrer deformações (entortar), além de fazer com que sua moto “beba mais”.

Verifique a calibragem ao menos uma vez por semana, lembrando de calibrar antes de rodar grandes distâncias, pois o ar de dentro do pneu esquenta e regista uma calibragem maior do que a real.

 

3 – Tensão da corrente

Corrente esticada demais se deforma e solta demais te derruba! Lembre disso.

O que acontece quando a corrente está muito tensionada, é que, ao sentar na moto, ela se estica ainda mais, e ao rodar com essa tensão exagerada, as partes mais desgastadas irão ceder, deixando a corrente bamba em uma parte e mais rígida em outra. Se isso acontecer é necessário a troca da corrente, pois ela não dará mais regulagem. Efetue essa troca, a corrente não é tão cara assim e essa manutenção garante maior durabilidade para todo o conjunto, além de não te deixar na mão com uma possível quebra.

 

4 – Sistema de iluminação

Pegue o costume de verificar as lâmpadas de sua moto pelo menos 1 vez por mês. Você pode também criar o habito de fazer a verificação toda vez que for limpar a moto ou fazer algum tipo de verificação. Por exemplo, verificar o óleo e na sequencia checar as lâmpadas.

Isso é importante para sua própria segurança, por a falta da iluminação e/ou sinalização só é notada quando precisamos dela e não temos, aí já é tarde demais. Isso pode te colocar em uma situação de risco, ou ainda te garantir uma multa, que cá entre nós, não é nem um pouco interessante.

Quando fizer a inspeção, não esqueça de pisar no freio (ou pedir para alguém pisar) para ver se o polo da lampada responsável por essa sinalização não está queimado. A iluminação de freio é, ao meu ver, uma das mais importantes.

 

5 – Embreagem

Esse é um ponto onde muita gente peca, usando de forma incorreta, por costume ou por achar melhor de uma forma ou de outra (muito baixa ou muito alta). Fato é que, a embreagem mau regulada reduz em mais de 50% a sua vida útil.

A embreagem muito alta faz com que o cabo fique tensionado, forçando o sistema, como se a pessoa estivesse andando apertando o manete, mesmo que sua mão não esteja sequer apoiada sobre o mesmo. Isso causa o aquecimento e o desgaste dos discos da embreagem, fazendo com que você tenha que fazer essa substituição muito antes do tempo.

Em contra partida, a embreagem muito baixa danifica o cambio, pois o acionamento da mesma não é suficiente para que haja a liberação suficiente do sistema de engrenagens, que ira sofrer uma força excessiva para que se consiga efetuar o encaixe das engrenagens. Então, já sabe. Regulagem da embreagem sempre em dia.

Agora que sua moto está em ordem, é só curtir o rolê!

Deixe sua opinião